segunda-feira, 11 de maio de 2009

Amália Hoje - A Gaivota (Outra maneira de dizer tudo o que não se devia fazer de uma canção)

O João Bonifácio diz quase tudo aqui: http://ipsilon.publico.pt/musica/critica.aspx?id=230530. Do que ele não fala é da pena que eu sinto. Do talento desperdiçado do Vinyl. Até das canções mais agressivas de AM/FM. Do que o Bonifácio fala é daquilo que a mim também me custa. Das vogais abertas para mostrar interpretação. Dos arranjos épicos para mostrar capacidade de fazer algo grandioso. Ele não fala deste vídeo. Devia. Porque ele está todo errado. Ele está sempre ao lado. Escapa-lhe uma estética de contenção que é tão apropriada quando se filma uma canção assim. O Bonifácio também não fala do susto que é perceber que há quem pensa que esta canção é a última obra do Nuno Gonçalves.

9 comentários:

Marisa disse...

Não sei como está o resto do álbum porque ainda não ouvi. Mas gosto bastante desta música. Acho que ficou bonita (não que não o fosse antes).

lluna nena disse...

vim convidar-te para participares na nossa nova rubrica. Passas por lá? beijinhos

Ágape disse...

"Porque ele está todo errado. Ele está sempre ao lado. Escapa-lhe uma estética de contenção que é tão apropriada quando se filma uma canção assim."

Boa tarde,

É a primeira vez que visito o teu blog. E se a tua opinião sobre esta versão é a que transcrevi em cima....

... VOU SEGUIR-TE.

Não conhecia esta versão e ainda bem. Agora que fiquei a conhecer sou mesmo obrigada a transcrever novamente as tuas palavras:

É EXACTAMENTE "tudo o que NÃO se devia fazer de uma canção"

Os "The Gift" nunca me incomodaram.

Mas ao ouvir isto... Começo a ter saudades do tempo da censura...

POR AMOR DA SANTA.

NAO INVENTEM...

Parabéns pela visão.

Rafeiro Perfumado disse...

Não entra no meu TOP 124, mas não é mazinha. Pronto, podia ter colocado base em cima das tatuagens, mas de resto...

bica disse...

Adoro fado, mesmo muito! Mas acho que a versão desta música da Amália é bem agradável e não belisca em nada a beleza original. Parabéns pelo blog, está muito bom. Apesar de pouca quantidade, tem muita qualidade.

Anónimo disse...

Vogais abertas, onde? Eu até gosto desta versão até porque se percebe as palavras que canta; ao contrário dessas/es fadistas muito na moda que cantam uns fados esganiçados cantados de boca fechada e que nem se entende o que dizem.

uena disse...

Só para dizer que amo fado; amo o original de paixão e esta música arrepia-me.

Anónimo disse...

Tanta literacia musical... tanta perfeição musical...tanto sentido estético...tanto, tanto...musicalmente correcto...o que me arrepia são outros "guinchos"

Esta "gaivota" profunda...e fica...e dura...
sinceramente, vale a pena, é soberba....

Diii disse...

É o pânico esta música! N percebi pk me criava comichão na micose quando as mnhas amigas a punhham mais alto e eu dizia "nããããão, outra vez não".. Agr percebo.. É este tom épico associado à pessoa! E o pior de td é que tem imenso sucesso.. GOD, não há paciência!