segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Isto não é xenofobia...

Foi no Jornal da Noite ou no Telejornal, eu estava pela cozinha e a imagem fanhosa das entrevistas do DN e da TSF estava na televisão. Manuela Ferreira Leite falava (e isso, por isso só, já faria a notícia). João Marcelino e Paulo Baldaia faziam as perguntas a que a líder do PSD gosta de responder a saca-rolhas. E de súbito há uma resposta que Manuela Ferreira Leite tem na ponta da língua. Quando lhe perguntam (a propósito do investimento que Portugal pretende fazer em obras públicas):

- As obras públicas ajudarão, pelo menos, ao factor desemprego?

Ela responde.

- Ao desemprego de Cabo Verde, desemprego da Ucrânia, isso ajudam. Ao desemprego de Portugal, duvido.

É grave. É feio. É o que temos?

10 comentários:

Anónimo disse...

cruzes... aquela mulher mete-me medo, provoca-me arrepios...
que anormalidade...

Isabel

Diana R. disse...

Pode até ser anormalidade, mas ela tem razão. Basta passar por umas obras para ver quem lá anda!!!

Vera disse...

Outro dia o meu marido disse-me: "Não percebo esse teu fraquinho pela MFL". LOL. Chamou-lhe fraquinho, tipo paixão assolapada mas eu engraço com ela, pá. A sério.

Sara disse...

Nem consigo dizer nada de coerente, tal é o choque.

Anónimo disse...

É triste a oposição que temos... retirem aquela múmia de lá...

Anónimo disse...

É triste a oposição que temos... retirem aquela múmia de lá...

filipa disse...

Oh Diana R
Ela não tem razão alguma! Porque "quem lá anda" trabalha cá em Portugal, ou seja, está inserido no sistema de emprego de Portugal. Olha que esta...
A mulher foi ignorante.

cristina disse...

É grave, é feio, é xenófobo, é ignorante e é inadmissível.
Essa senhora devia ter vergonha.
Entre as imbecilidades que saem da boca de elementos do governo e as que saem da boca da oposição, nem sei o que escolher.
Estamos entregues à bicharada!
Cristina

Diana R disse...

Foi uma maneira de ser sarcástica!!!!!!!! Dahhhhh!

filipa disse...

Ah foi? Não parecia nadinha nadinha, o sarcasmo para mim é algo completamente diferente. E vá dizer dahhhh a outro, porque ninguém aqui foi mal educado consigo.